Formação e origem da fortuna dos dez homens mais ricos da atualidade

Billionaires
Clique na imagem para visualização em alta definição

Uma das maiores gritarias da esquerda de forma geral, sempre é o ataque aos ricos. Principalmente os mais de 2.000 bilionários existentes no mundo atualmente. Essas pessoas erroneamente colocam a riqueza como algo estático, que é passada de geração a geração e aumenta cada vez mais para os herdeiros.

É importante reafirmar o erro nessa afirmação que é comprovado por exemplo, pela lista dos dez homens mais ricos do mundo em 1987, dos quais nenhum deles, ou então seus herdeiros, aparecem nas listas atuais. Também em um estudo publicado em 2016, The origins of the superrich: The Billionaire Characteristics Database, podemos perceber a evolução do enriquecimento próprio como maior origem de riqueza nos dias de hoje, chegando a 69,6% das fontes de fortunas.

Muito dessa mudança está ocorrendo pelo acelerado avanço de inovações tecnológicas, comprovada por ter seis dos dez mais ricos ligados a tecnologia. Esses são homens que diariamente nos surpreendem com suas criações que criam enorme valor para a sociedade. O apetite que possuem para lançar novos produtos e serviços, barateam cada vez mais a tecnologia e consequentemente trazem enormes benefícios para os consumidores de todas as classes.

Sabendo que o empreendedorismo e enriquecimento próprio é larga maioria nas origens das fortunas atuais, é importante notarmos também que os mesmos não seguem um script. Não é necessário ter nascido em berço de ouro e ser graduado em alguma universidade Ivy League para se tornar um bilionário, e as estatísticas nos comprovam isso. Hoje a maioria dos bilionários do mundo não concluíram, ou sequer entraram em um curso superior. São 32% das pessoas mais ricas que não possuem formação acadêmica. É notável também que muitos concluíram um curso em determinada área, mas criaram suas riquezas em ramos totalmente diferentes, que é o caso de Bernard Arnault (presidente da Louis Vuitton) e Carlos Slim.

Enfim, é importante nos libertarmos das errôneas convicções sobre bilionários divulgadas por aí. A herança cada vez menos é a origem de fortunas, nenhuma riqueza é estática, e se os herdeiros de uma não procurarem maneiras de criarem valor para a sociedade, em pouco tempo deixarão de a terem.

 

%d blogueiros gostam disto: