O maior parceiro comercial de cada país da América do Sul – Exportações

Exportação por país América do Sul
Clique na imagem para visualização em alta definição

O principal destino das exportações dos países da América do Sul é a China, seguida pelo Brasil e Estados Unidos. A América do Sul exportou em 2016 cerca de 490 bilhões de dólares, sendo o Brasil o maior responsável com U$ 182bi (37,3%), Chile em segundo com U$ 65,7bi (13,5%), Argentina em terceiro U$ 56,9bi (11,6%), Equador em quarto com U$ 40,8bi (8,3%) e Peru em quinto com U$ 35,6bi (7,3%).

O principal produto exportado pelos países sulamericanos é o petróleo cru, e quem detém a maior participação na exportação é a Venezuela com U$ 24,9bi exportados em 2017. Aqui há de se espantar toda vez com o poder de destruição do socialismo, levando o quarto país com maior PIB per capita na década de 50, e com reservas de petróleo de invejar xeques árabes, a ter 90% da população já vivendo na pobreza. Essa é a igualdade que eles pregam, ter a maioria da população nivelada por baixo.

Apesar de o Brasil ser a principal presença sulamericana, seu comércio exterior globalmente é ainda muito pouco representativo. Nesse sentido, o Brasil representa apenas 1,4% de todas as exportações do globo, perdendo para países como México, Tailândia e Taiwan. Muito dessa pouca representação se dá pelo fato do Brasil estar amarrado no bloco do Mercosul.

O Mercosul, considerado uma união aduaneira imperfeita, foi criado em 1991 pela Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil. O bloco foi positivo no sentido de reduzir as tarifas de importações entre os países, mas maléfico ao adotar uma Tarifa Externa Comum (TEC) para produtos importados de outros países. O que significa que se um país ou bloco quiser fechar negócio com o Brasil, terá de adotar as mesmas alíquotas para os outros integrantes do Mercosul. Existem alguns produtos exceções, mas de forma geral, os integrantes estão amarrados em matéria de acordos comerciais internacionais.

Mas piora, em 2012 o bloco admitiu a Venezuela para fazer parte do Mercosul (adivinhem se os governos não eram de esquerda na época), agora imaginem que tipo de país iria querer fazer negócio amarrado com a Venezuela? Há de se imaginar, o reflexo disso é que o Mercosul possui acordos apenas com Egito, Israel e Palestina, e se torna um atraso para os países que desejam fazer acordos bilaterais.

 

%d blogueiros gostam disto: