As empresas mais valiosas de todos os tempos

Empresas mais valiosas
Clique na imagem para visualização em alta definição

Na última semana, a empresa de tecnologia Apple ganhou mais uma vez os noticiários globais. A notícia da vez não foi o lançamento de mais um produto inovador, mas sim a conquista de um importante marco. A empresa atingiu nesta quinta-feira (02/08), a marca de US$ 1 trilhão de valor de mercado, tornando-se a primeira ação americana a conseguir tal feito.

Descubra como a Apple e outras gigantes da tecnologia fazem dinheiro

A impressionante marca, porém, não é inédita no cenário global. A chinesa PetroChina ultrapassou o US$ 1 trilhão de valor de mercado já em 2007, e a estatal Saudi Aramco possui seu valor de mercado, baseado em estudos, de US$  4,1 trilhões.

Ainda que impressionantes esses números, se inseridas em um perspectiva histórica, as gigantes atuais seriam “peixes pequenos” no mar do empreendedorismo de séculos atrás.

Confira abaixo as empresas mais valiosas de todos os tempos, com valores ajustados pela inflação do dólar.

1. Companhia Holandesa das Índias Orientais
Ano: 1637
Valor: US$ 7,9 trilhões

voc-shipyard

A Companhia Holandesa das Índias Orientais foi uma companhia formada em 1602 pelo governo Holandês, a fim de competir com a Companhia Inglesa das Índias Orientais, criada dois anos antes. A Companhia, que possuía a sigla VOC (do holandês Vereenigde Oost-Indische Compagnie), possuía o monopólio de comércio de especiarias asiáticas, e possuía o poder de estabeler colônias, criar forças militares e iniciar guerras. A VOC era tão poderosa que possuía em seu auge, o território da atual Indonésia como sua colônia, e até uma parte de terra na América do Norte, onde um de seus exploradores Henry Hudson, descobriu a inexplorada atual Baía de Hudson, a qual ganhou seu nome e o rio que hoje banha Nova Iorque. O pico de valorização da empresa se deu justamente pela bolha das Tulipas, conhecido como a primeira bolha financeira da história. Na época a VOC chegou a valer 78 milhões de Florins Holandeses, equivalente a aproximadamente US$ 7,9 trilhões de dólares ajustados pela inflação. A VOC continuou a existir por muitos anos mesmo após o estouro da bolha, e só foi dissolvida em 1799 após complicações financeiras devidas a Quarta Guerra Anglo-Holandesa.

2. Companhia do Mississippi
Ano: 1720
Valor: US$ 6,5 trilhões

Mississippi

A Companhia do Mississippi, fundada em 1684, foi também um monopólio, mas dessa vez criado pelos Franceses. A Companhia explorava o comércio principalmente da colônia francesa de Louisiana, a qual teve sua riqueza exagerada em um esquema de marketing criado por John Law, criador do banco Banque Générale Privée, um dos primeiros a desenvolver o uso do papel-moeda. O auge da companhia se deu por uma especulação selvagem em decorrência do esquema de Law, a essa altura, a Companhia já absorvia o banco de Law, a Companhia Francesa das Índias Orientais, a Companhia da China e várias outras companhias de comércio. A Bolha estourou quando oponentes de Law resolveram iniciar uma corrida ao banco, com o objetivo de trocar seus papéis-moedas por moedas físicas. Como o banco da Companhia atuava por reservas fracionárias, sua insolvência foi escancarada e a empresa faliu. Leia mais sobre como funcionam as reservas fracionárias e o perigo de nosso sistema bancário atual.

3. Companhia dos Mares do Sul
Ano: 1720
Valor: US$ 4,3 trilhões

South Sea

Paralelamente ao auge da Companhia do Mississippi, uma nova Companhia criada em 1711 por Britânicos, se aproveitava de outro monopólio. Dessa vez o monopólio englobava o comércio de especiarias com a América do Sul. Quando criada, a Grã-Bretanha estava envolvida na Guerra da Secessão Espanhola, e quem controlava a América do Sul era a Espanha. A Companhia dos Mares do Sul ainda não possuía acesso com a América do Sul, e seu valor aumentava puramente na especulação do que poderiam fazer com o término da guerra. O valor da Companhia crescia sem parar e a promessa de assumir a dívida pública do governo britânico aumentou ainda mais a procura por ações da empresa. A bolha estourou no mesmo ano do auge da empresa e levou até figuras importantes como Isaac Newton a perderem dinheiro com a mesma. A empresa nunca entregou o que era prometido, seu acesso era limitado e suas operações pouco lucrativas. A Companhia dos Mares do Sul vendeu a maioria de seus direitos ao governo Espanhol em 1750 e sobreviveu até 1853, ano em que encerrou de vez as atividades.

4. Saudi Aramco
Ano: 2010
Valor: US$ 4,1 trilhões

Saudi Aramco

A Saudi Aramco é uma empresa estatal da Arábia Saudita e é a maior empresa do ramo no mundo, em termos de reservas de petróleo e produção. A empresa nunca teve o capital aberto, mas após o príncipe herdeiro Mahammed bin Salman assumir a empresa em 2016, diversas declarações públicas do mesmo indicam que ele quer abrir o capital da empresa. Em 2010 um estudo estimou o valor de mercado da empresa em US$ 4,1 trilhões. Há diversas outras estimativas “não oficiais” que colocam a empresa em um patamar de US$ 2 trilhões até US$ 10 trilhões. De qualquer forma, a abertura de capital da Saudi Aramco deverá ocorrer em breve, o que a colocará no patamar de empresa mais valiosa do mundo atualmente.

5. PetroChina
Ano: 2007
Valor: US$ 1,4 trilhões

PetroChina

Oficialmente apenas uma empresa chegou a casa do trilhão antes da Apple no mundo moderno. A petrolífera chinesa PetroChina atingiu essa marca apenas alguns dias depois de ter sido listada na Bolsa de Valores.  Em 2007 no auge do boom das commodities a PetroChina viu seu valor de mercado sair de US$ 300 bilhões para US$ 1 trilhão, porém o fato de que apenas 2% dos papéis negociados vinham da bolsa de Xangai, fez com que o governo Chinês lançasse medidas para controlar o movimento especulativo, o que iniciou a queda das ações. Aliado a isso, a queda no preço do petróleo e a crise de 2008 contribuíram para que a empresa perdesse nada mais nada menos que US$ 800 bilhões de valor de mercado, deixando a empresa no “modesto” patamar de US$ 200 bilhões até hoje.

6. Standard Oil
Ano: 1900
Valor: US$ 1 Trilhão

Standard_Oil

A gigante do petróleo criada por John D. Rockefeller, detinha em seu auge o controle de 90% da produção de óleo nos Estados Unidos e 85% das vendas em território americano. A empresa teve sua dissolução ordenada pelo tribunal supremo dos Estados Unidos em 1911 e foram criadas 34 empresas menores, algumas das quais hoje são conhecidas como ExxonMobil e Chevron. Das derivadas da Standard Oil que remanescem até hoje, se somadas, seus valores de mercado atingem a marca de US$ 1 trilhão.

7. Apple
Ano: 2018
Valor: US$ 1 Trilhão

Apple

A empresa de tecnologia norte americana atingiu na última semana o valor de mercado de US$ 1 trilhão e possui hoje mais valor do que todo o mercado acionário brasileiro. Fundada em 1976, a empresa passou por uma severa crise após o afastamento de seu fundador Steve Jobs nos 80 e 90. Em 1997 quando retornou a empresa, o visionário se viu obrigado a cancelar 70% dos planos da Apple e enxugar todos os gastos, focando a partir dali em simplicidade. A empresa foi lentamente voltando aos trilhos, até que em 2007 revolucionou o mundo tecnológico com o lançamento do Iphone. De lá pra cá a empresa vem quebrando recordes de vendas e lucratividade, e mesmo com a morte do seu fundador, continua trilhando um caminho de sucesso. A comprovação disso se dá por, entre inúmeros fatores, o atingimento da marca de US$ 1 trilhão em valor de mercado.

%d blogueiros gostam disto: