Guia de Dividendos

O que são dividendos?

Dividendos são a divisão do lucro das empresas repassados aos seus acionistas, proporcionalmente a fração de ações que os mesmos possuem. Tanto o valor quanto a periodicidade dos dividendos de uma empresa são definidos pela diretoria da mesma. No Brasil geralmente as empresas listadas na B3 respeitam o mínimo de 25% dos lucros para serem distribuídos. A periodicidade varia muito, há empresas que distribuem em intervalos mensais, outras bimestrais, trimestrais, semestrais ou anuais.

É importante ressaltar que dividendos geralmente só são distribuídos por empresas que auferem lucro, mas nem sempre quando há lucro, uma empresa distribui dividendos. Muitas vezes os lucros são usados para reinvestimentos na própria empresa. Por isso é importante verificar se a empresa que você quer ganhar dividendos, possui uma política bem definida de distribuição de lucros.

Indicadores de Dividendos

1) O primeiro indicador a ser verificado é o histórico de distribuição de dividendos de uma empresa. Se há um histórico de distribuição regular, as chances de se repetirem no futuro são altas. Nos Estados Unidos, existem dois seletos grupos de empresas que possuem um longo histórico de distribuição de dividendos. O primeiro, chamado de Dividend Kings reúne empresas que aumentam o pagamento de dividendos há mais de 50 anos. Atualmente o Dividend Kings é composto por 26 empresas. O segundo grupo, Dividend Aristocrats, é formado por empresas que aumentam o pagamento de dividendos há mais de 25 anos, e é composto por 53 empresas do S&P 500 atualmente.

Lembre-se, histórico em renda variável não é garantia de nada, e isso se aplica para a distribuição de dividendos também. Mas é um bom indicador de regularidade e crescimento sustentável de uma empresa.

2) Dividend Yield (DY), nada mais é do que o rendimento dos dividendos de uma determinada empresa. É um indicador expressado em porcentagem, e correlaciona os dividendos pagos nos últimos 12 meses, com a atual cotação da ação escolhida. O cálculo é bem simples:

Dividend Yield = (Dividendos pagos nos últimos 12 meses / Atual preço da ação)*100

Em um exemplo prático, digamos que a Empresa X pagou uma soma de R$ 1,15 por ação em dividendos nos últimos 12 meses. Se a ação da Empresa X é atualmente cotada a R$ 20,00 o Dividend Yield será de 5,75%.

3) Dividend Payout (DP) é outro indicador para se observar, trata-se da porcentagem dos lucros que uma empresa destina para a distribuição de dividendos. Conforme mencionado no início do artigo, no Brasil geralmente se respeita o mínimo de 25% dos lucros para o pagamento de proventos. Apesar de ser outro indicador importante, deve ser observado com cuidado. Empresas que possuem um alto DP podem ser insustentáveis no longo prazo, a atenção deve ser redobrada em empresas que possuem um DP acima de 100%, que é quando a empresa paga dividendos maiores que sua capacidade de gerar lucro, aumentando assim seu endividamento para tal fim.

Site para análise de indicadores de dividendos e demais informações completas sobre o balanço das empresas listadas na B3:
http://fundamentus.com.br/index.php

Entendendo as datas de Dividendos

São três as datas que um investidor deve ficar atento ao investir em dividendos.
1) Data de aprovação: É a data em que a empresa anuncia o valor e quando realizará o pagamento dos dividendos aos acionistas, é a primeira data a ser anunciada.
2) Data Ex: É a data limite que as ações são negociadas com direito a receber dividendos. Ou seja, para o investidor receber o dividendo anunciado, deverá realizar a compra das ações até a Data Ex para ter o direito.
3) Data de pagamento: É quando de fato ocorre o pagamento dos dividendos anunciados na Data de aprovação.

Site com a agenda de dividendos de todas as empresas listadas na B3:
http://dividendobr.com/

História dos Dividendos

A primeira empresa de capital aberto que possui registro de pagar dividendos regularmente aos seus acionistas é a Companhia Holandesa das Índias Orientais (VOC). A VOC pagou dividendos que valiam cerca de 18% do preço de suas ações por quase 200 anos ininterruptamente (1602-1800).

Existem ainda 15 empresas que pagam dividendos regularmente há mais de 100 anos. Entre elas, algumas muito conhecidas também pelo público Brasileiro, como é o caso da Colgate-Palmolive Company, a Coca-Cola Company, Procter & Gambler (P&G) e a Black & Decker.

Reinvestindo os Dividendos

No artigo sobre o poder dos juros compostos, explico o porquê aportar quantias regulares de dinheiro em investimentos é muito interessante no longo prazo. Com dividendos é exatamente o mesmo conceito. Aqui vão alguns exemplos de como reinvestir dividendos é um excelente negócio:

Investimento no Banco Itaú (ITUB4) de 1995 a 2017. A linha vermelha corresponde ao rendimento sem dividendos. A linha azul corresponde ao rendimento com o reinvestimento dos dividendos recebidos:

Investimento na Ambev (ABEV3) de 1995 a 2017. A linha vermelha corresponde ao rendimento sem dividendos. A linha azul corresponde ao rendimento com o reinvestimento dos dividendos recebidos:

Investimento no Banco Bradesco (BBDC4) de 1995 a 2017. A linha vermelha corresponde ao rendimento do índice Ibovespa para comparação. A linha azul corresponde ao rendimento com o reinvestimento dos dividendos recebidos e a linha cinza ao rendimento da mesma aplicação sem o reinvestimento de dividendos:

Internacionalmente a tendência é a mesma, abaixo o índice FTSE 100 que compões as 100 maiores empresas da Bolsa de Valores de Londres, de 1987 a 2016. A linha azul corresponde ao rendimento do índice com dividendos reinvestidos, a linha cinza a mesma performance sem o reinvestimento:

Por fim o índice S&P 500, que é composto por 500 empresas da Bolsa de Nova York e NASDAQ, de 1997 a 2017. Na linha cinza temos o retorno do índice sem o reinvestimento de dividendos, e na linha azul com dividendos reinvestidos:

 

Conclusão

Dividendos são uma forma de você ganhar dinheiro com ações além da valorização da mesma, e podem funcionar muito bem como aportes regulares para aumentar sua posição na própria ação, ou para outro investimento. Lembre-se, o poder dos juros compostos é incrível, e o ato de reinvestir é crucial para isso.

Ainda, dividendos no Brasil não são tributados, isso porque as empresas já são tributadas sobre o lucro. Como os dividendos são frações do lucro, se fossem tributados caracterizaria bitributação, o que em tese não é permitido no Brasil. O que torna o recebimento desse provento ainda mais atrativo.

Mas se preferir é possível também investir em ações que pagam dividendos regulares há mais de 25 anos no mercado americano, e usufruir de constantes aumentos de pagamentos constantes. Como fazer isso? Recomendo o site do Viver de Dividendos, no qual você encontrará desde formas para criar contas em corretoras americanas, até um passo-a-passo de como enviar remessas de dinheiro para lá. Também o site Investidor Internacional, onde você encontra uma guia completo de inúmeros bancos e corretoras no exterior para se abrir uma conta, além de dicas de investimento no exterior.

Bônus

Ranking de Dividendos 2018:

Código da EmpresaDividend Yield (DY)
EZTC318,8%
CGAS514,9%
TPIS314,6%
CRPG514,3%
CGAS313,4%
TRPL412,6%
ROMI312,5%
BMEB412,3%
CSMG311,7%
QGEP311,4%

Empresas brasileiras com bom histórico de dividendos:
https://www.bussoladoinvestidor.com.br/acoes-que-pagam-dividendos/

Mais:
Guia sobre a declaração de imposto de renda:
https://impostoderendarestituicao.com.br/

Consulta de CNPJ, Informe de rendimentos e muito mais:
https://informederendimentos.com/

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: