Connect with us

Tecnologia

As cidades mais vigiadas do mundo

Published

on

Segundo estudo do site Comparitech, oito das dez cidades mais vigiadas do mundo, são chinesas.

A pesquisa que foi aplicada em mais de 120 cidades ao redor do mundo, constatou apenas Atlanta, EUA e Londres, Reino Unido fora da China no top 10 de cidades mais vigiadas.

A cidade Brasileira mais acima no ranking é Salvador, Bahia. Com 2,55 câmeras por mil habitantes, a capital Baiana aparece em 42º lugar entre as 120 cidades analisadas.

Confira o ranking completo aqui.

Câmeras públicas de vigilância e a segurança

O estudo da Comparitech realizou também a correlação entre o número de câmeras e índices de criminalidade e segurança.

A conclusão? Mais câmeras não necessariamente resultam em índices de criminalidade menores e em as pessoas se sentirem mais seguras.

O site usou os índices de criminalidade e segurança do site Numbeo.

A vigilância na China e a controvérsia

Como visto no ranking, a China já despontou como o país com o maior número de câmeras por habitantes. Há uma estimativa de que em 2022, a China terá uma câmera de vigilância para cada dois habitantes.

A questão é que o governo chinês pretende ir além da simples vigilância, e desta forma, já investe em uma gigante rede de câmeras para monitorar a tudo e a todos no país.

A maioria das grandes cidades chinesas já possuem a imagem catalogada de todos os seus residentes. As câmeras são integradas com sistemas de reconhecimento facial, e conseguem estimar idade, etnia e sexo.

As câmeras também conseguem correlacionar os indivíduos aos seus veículos, parentes e vizinhos, criando desta forma um enorme banco de dados da população em tempo real.

Este vídeo realizado pela BBC demonstra um pouco o nível de vigilância que a China está implementando.

A controvérsia reside nos limites de até onde a vigilância pode ser saudável para nós.

Se o número de câmeras de vigilância pouco influencia na redução de crimes, qual é o objetivo de um governo investir tão pesado nisso?

Os amantes da leitura parecem ter um déjà vu ao verem isso. Como não lembrar de George Orwell no seu clássico 1984, que de certa forma previu que isso aconteceria.

No livro, o autor cria um cenário em que um governo futuro chega ao um nível máximo de totalitarismo.

Apelidado de “Big Brother“, o governo de Orwell cria uma rede de vigilância onipresente, e a privacidade é praticamente extinguida.

Por sinal, você já leu esse clássico mundial? Não? Pega o link aí:

Eaí caro leitor, o que você acha: Devemos investir cada vez mais na vigilância pública e seguir o exemplo da China, ou isso seria um “pesadelo Orwelliano”?

Continue Reading
Comments

Copyright © 2020 Economista Visual

%d blogueiros gostam disto: